Gaviões da Fiel é acusada de intolerância religiosa por bancada evangélica


Líderes da bancada evangélica estão acusando a escola de samba paulista Gaviões da Fiel de intolerância religiosa, após representação de Jesus, em um embate com Satanás, sair perdedora.A comissão de frente ficou responsável pela encenação da disputa entre o bem e o mal.

Com a repercussão, a escola de samba paulista postou no feed e stories do instagram uma cena de Jesus saindo vitorioso do embate e explicando a realização da releitura de um samba-enredo que havia apresentado em 1994, sobre a história do tabaco. 

Em nota, a Frente Parlamentar Evangélica da Câmera dos Deputados afirmou “profunda indignação e repúdio ao espetáculo” referindo-se a releitura do samba-enredo como uma apresentação ofensiva e desrespeitosa aos cristão. 
Em outro trecho, o presidente da bancada religiosa, Lincoln Portela (PR) destaca: “Entendemos que aquela apresentação não é arte, é crime. Nenhum direito é absoluto, logo o direito à manifestação artística não se sobrepõe à inviolabilidade da consciência e da crença”.  Confira a íntegra da nota da bancada evangélica:
“A Frente Parlamentar Evangélica – FPE manifesta profunda indignação e repúdio ao espetáculo da ‘Gaviões da Fiel’, no carnaval de São Paulo, com uma apresentação pública ofensiva e desrespeitosa a todos nós, cristãos, ao vilipendiar e escarnecer o Senhor Jesus Cristo e a nossa fé.Entendemos que aquela apresentação não é arte, é crime. Nenhum direito é absoluto, logo o direito à manifestação artística não se sobrepõe à inviolabilidade da consciência e da crença. As palavras do coreógrafo Edigar Junior revelam qual era o propósito: ‘O foco era chocar. … Alcançamos nosso objetivo que era mexer com a polêmica Jesus e o diabo e a fé de cada um.’Manifestações dessa natureza estimulam o desrespeito e a intolerância, caminho inverso àquele que nós, brasileiros, estamos buscando consolidar continuadamente.Lutaremos para que o dinheiro público, fruto de impostos pagos por um povo tão sofrido e carente de políticas públicas de excelência, especialmente na área da educação, da saúde e do enfrentamento à criminalidade e à violência, não financie espetáculos que configurem crime e que não estimulem o respeito e a tolerância fundamentos de uma nação democrática, plural e majoritariamente religiosa.Com fundamento na Constituição brasileira exerceremos as medidas adequadas.Brasília – DF, 04 de março de 2019.Deputado Federal LINCOLN PORTELAPresidente em Exercício da Frente Parlamentar Evangélica – FPE” 

Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *