Presos brasileiros planejavam fuga de penitenciária da fronteira

Entretanto, ministra da Justiça afirma que detentos não tem vínculos com facções criminosas

O suposto plano de fuga na penitenciária de Pedro Juan Caballero foi articulado por presos brasileiros. A afirmação é da ministra da Justiça do Paraguai, Cecilia Pérez, com base em investigações que apontam, ainda, que o ataque contra um parente de um policial pode ter sido ato de vingança.

Cecilia Pérez, chefe do Ministério da Justiça, confirmou que ontem, segunda-feira, houve rumores de um suposto plano de fuga na penitenciária Pedro Juan Caballero. As intenções de fuga do referido centro de detenção teriam sido iniciadas em um setor onde se encontram presos brasileiros. Eles não descartam que em retaliação às buscas houve um ataque contra um oficial parente de um chefe de polícia, disse ele.

A ministra destacou, segundo informações do ABC Color, ao tomar conhecimento do suposto plano de fuga de alguns presos do presídio PJC, foram acionados alertas e reforçada a segurança no local. “Tivemos a informação ontem. Enviamos pessoal e já fizemos o alerta. Achamos que isso levou a um evento de intimidação na noite passada. Atiraram na casa de um oficial ”, comentou.

Da mesma forma, indicou que na verificação das instalações penitenciárias não foram encontrados túneis ou outras vias projetadas pelos internos para fins de fuga. “Na revisão exaustiva que foi feita, não há escavação, túnel nem nada. Eles poderiam ter usado um princípio de motim como uma distração “, disse ele.

Nesse sentido, disse que embora os rumores de um suposto plano de fuga saíssem dos presos brasileiros, eles não tinham vínculo com chefes do tráfico do Primeiro Comando da Capital (PCC) ou do Comando Vermelho.

Foto Destaque: Divulgação

Fonte: Mídiamax