Aumento de contágio nas cidades de divisa acende alerta para variante delta em MS

SES alertou para aumento de casos nos municípios de divisa, como é o caso de Chapadão do Sul

A determinação de lockdown na cidade de Chapadão do Sul nesta semana chamou a atenção para o aumento de casos nos municípios de divisa em Mato Grosso do Sul. A variante delta começa a cercar MS e já está presente nos estados vizinhos, como Goiás, São Paulo e Paraná. A SES (Secretaria de Estado de Saúde) demonstrou preocupação com aumento de casos nas cidades que fazem divisa com outros estados.

Durante a live da SES nesta sexta-feira (23), o secretário estadual de saúde Geraldo Resende reforçou que, mesmo com o avanço da vacinação, o coronavírus continua presente em Mato Grosso do Sul.

“A preocupação maior é porque nos estados vizinhos já existe a variante delta, em São Paulo, Goiás e no Paraná. Temos aí um percentual expressivo de casos novos em cidades perto das fronteiras com esses estados”, ressaltou.

O secretário explica que diante do aumento de casos nas cidades de divisa, doses extras da vacina Janssen foram encaminhadas. “Estaminhamos resquícios da vacina da Janssen para estes municípios. Encaminhamos mil doses para Costa Rica, mil para Chapadão e 2.340 para Três Lagoas, além de outros municípios com situação epidemiológica desfavorável, encaminhamos resquícios da pesquisa na fronteira”, disse.

A secretária adjunta Crhistinne Maymone também expressou preocupação com as fronteiras com os outros estados por conta da ameaça da variante delta, que é mais transmissível e mais perigosa do que as outras cepas já conhecidas. Maymone pediu a colaboração dos sul-mato-grossenses.

“Estamos aumentando nossa a taxa de contágio e mobilidade urbana, é momento de prevenção e precaução. É importante que você nos auxilie. Precisamos chegar lá [na imunidade coletiva], seremos os primeiros, mas precisamos que nos auxilie no uso da máscara, distanciamento, evitar aglomerações e higienização das mãos”, alertou.

Perigo da variante delta
O Estado tem apresentado melhora nos indicativos da pandemia, mas o cenário pode mudar completamente com a chegada da variante delta. Em entrevista ao Jornal Midiamax, o médico infectologista e pesquisador da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), Julio Croda, disse que há preocupação com a variante delta. A variante é, pelo menos, 2 vezes mais transmissível do que a P1 (Gama) e, consequentemente, mais letal.

“Se a variante [Delta] se tornar predominante [pode ter aumento de casos], pois não temos a cobertura vacinal alta, em torno de 70% a 90% [com as duas doses]. Somente com a cobertura de vacinados alta que vamos ter tranquilidade para enfrentar a nova variante”, observou.

Lockdown na fronteira com Goiás
O município de Chapadão do Sul, que faz divisa com Goiás, publicou decreto nesta semana determinando lockdown por um período de quatro dias. No documento, até mesmo os supermercados deveriam fechar as portas, mas a associação recorreu e conseguiu na Justiça o direito de atender os consumidores.

Conforme o documento, está proibida a realização de festas como aniversários, casamentos, batizados e reuniões familiares. Além disso, atividades esportivas de todas as modalidades, inclusive atividades físicas em academias, estúdios ou quadras, campos e ginásios de esportes também estão suspensas.

Vale lembrar que o município registrou a morte de um bebê de apenas três meses, que não possuía comorbidades. Além disso, a cidade ocupa o 2º lugar no ranking de incidência de casos em MS.

Foto Destaque: Marcos Ermínio

Fonte: Mídiamax