Produção de grãos deve atingir novo recorde na próxima safra

A soja tem a projeção de novo recorde, podendo chegar a 141,3 milhões de toneladas.

As Perspectivas para a Agropecuária na Safra 2021/22 – Edição Grãos são uma publicação da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) que indica as principais variáveis de mercado e as tendências para a produção do agronegócio no país. Soja, arroz, feijão, algodão e milho são os produtos cuja produção deve atingir 289,6 milhões de toneladas na safra 2021/22.

O uso de tecnologia e fertilizantes para melhorar a produção agrícola pode ter relação direta com o resultado. Além disso, ações do governo podem ter contribuído para aumentar os valores gerais.

Um destaque na publicação é a manutenção de preços em patamares remuneradores para as principais culturas. A soja tem a projeção de novo recorde, podendo chegar a 141,3 milhões de toneladas. O desempenho coloca o Brasil como o maior produtor e exportador dessa oleaginosa no mundo. O milho é outro grão que deve superar os melhores cenários e atingir 115,9 milhões de toneladas.

A recuperação de produtividade do milho chamou a atenção nesse estudo. O crescimento da produção do grão deve ficar em 29% na próxima safra. A notícia chega em um bom momento, após um ano marcado pela quebra em razão de fatores climáticos. Além disso, espera-se uma recuperação dos estoques de passagens de milho, finalizando o próximo ciclo em 9,9 milhões de toneladas.

Mesmo com acesso à informação, o uso de diferentes tipos de insumos agrícolas e mão de obra qualificada devem encabeçar a pauta de investimentos do empreendedor rural para a próxima safra. De acordo com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, esse documento é importante para que produtores tomem decisões mais orientadas para planejar a produção. “Isso é muito importante, principalmente para os médios produtores. Eles vão ter informações cada vez mais seguras para tomar decisões acertadas, do momento do plantio até a hora da colheita. Os mercados interno e externo garantem as boas perspectivas para esse desempenho”, disse.

Foto Destaque: Federação das Indústrias do Estado do Paraná

Fonte: Dourados Agora