Tacuru: CRAS Promove Alerta Especial no Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes

O dia 18 de maio é marcado como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes. Instituído pela Lei Federal 9.970/00, trata-se de uma conquista que demarca a luta pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes no território brasileiro.

A proposta anual da campanha, é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes. É preciso garantir a toda criança e adolescente o direito ao seu desenvolvimento de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual.

A campanha incentiva ainda, que as pessoas denunciem casos suspeitos ou conhecidos de alguma criança ou adolescente que esteja sofrendo violência. Isso pode ajudar meninas e meninos que estejam em situação de risco. As denúncias podem ser feitas no Conselho Tutelar, no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), ou no disque 100 .

Conforme a orientadora Social do CRAS, Ana Mirian Vasconcelos, em virtude do cenário pandêmico estabelecido pelo Coronavírus (COVID-19), este ano as atividades como seminários foram canceladas, todavia, ela reforça para a importância de que se estabeleçam reflexões e observações envolvendo crianças e adolescentes que, por permanecerem em isolamento, muitas vezes com seu abusador (no caso da violência intrafamiliar), perderam seus laços de confiança mais comuns para a efetivação da denúncia, como professores, médicos, cuidadores, entre outros.

Outro problema é que, com muitas crianças e adolescentes sem atividades rotineiras, a presença deles na internet se intensificará, e quando sem supervisão, tal presença pode ser prejudicada com o aumento do abuso e da exploração sexual pela internet.

Por isso, esse ano, a campanha espera que mesmo em isolamento, o debate continue entre família, educadores, sociedade civil, governos, instituições de atendimento, igrejas, templos, universidades, mídia, etc. Tudo isso com o objetivo de assumir o compromisso no enfrentamento da violência sexual, promovendo e se responsabilizando para com o desenvolvimento de crianças e adolescentes de forma digna, saudável e protegida, livres do abuso e da exploração sexual.

Fonte: Assessoria de Imprensa